O arpoador - Xavier Marques (2008)
Brochura, miolo em papel pólen bold 90gr, 54págs.
Formato: 20x12,5cm. 2a. edição.
Tiragem de 50 exemplares.
Com uma introdução de Pedro Kilkerry.
A presente edição segue a ortografia da 2a. edição, a do volume Praieiros, de 1936.
Coleção Nimbus-1. 

R$ 10,00 (+ R$ 6,00 - registro módico)

Nem só de lixo literário é composta a Academia Brasileira de Letras. Houve um tempo, perdido na memória literária do país, em que um e outro Literato, por não se sabe qual acaso, incluía-se na Academia. Um desses Literatos é Xavier Marques (1861-1942), escritor baiano, mestre da narrativa praieira, único em seu estilo, autor que fez do ambiente de seu litoral o elemento de uma arte universalmente merecedora de apreço. Pertence ao pequeno número daqueles que podemos sinceramente chamar Imortais, não por pertencer à Academia, mas por ser um Escritor. A Nephelibata, cumprindo seu objetivo — do raro ao raro: do raro autor ao raro leitor — inicia aqui o justo trabalho de escavar na História o nosso ouro literário. [Camilo Prado].
"Xavier Marques e a sua obra, não sabemos distinguir. O homem não preconcebe, a arte não lhe sofre adstrições de escola. Ao assunto, que é quase sempre uma face da vida simples ou de pescadores e barqueiros, a alma desses irmãos do mar e das ondas glaucas, em seus fluxos e refluxos de paixão meridiana e doçura de vésperas, sabe unir, com uma felicidade constante, o processo que escolhe. Tine-lhe a frase ou afogueia ou amortece oportunamente como os sentimentos em luta ou harmonizados dos seus personagens. É que Xavier vive em suas criações de arte, que se podiam sintetizar nesta expressão — “o belamente real da existência”." [Pedro Kilkerry].

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Nephelibatas em movimento