O noivado do sepulchro - Soares de Passos
Plaqueta em papel pólen bold, 36págs.
Formato 12x16cm.
Tiragem de 50 exemplares.
Soares de Passos [1826-1860]: O Noivado do Sepulchro.
Gleiton Lentz, curador.
A presente edição segue a grafia do português da época, 1870.

[esgotado]


"No ano de 1855, António Soares de Passos, poeta lusitano, publicava sua primeira e única coletânea de versos intitulada Poesias. Sem símiles no período em que fora escrita, a obra – ambientada em meio a túmulos e lousas de pátina nuança e a paisagens autunais de funda melancolia – se apresenta como um verdadeiro epitáfio no contexto literário da época. Nascido em 21 de novembro de 1826, na cidade do Porto, filho da pequena burguesia liberal, Soares de Passos, aos vinte anos de idade, partiu para Coimbra, onde começou a escrever e onde fundou o jornal literário O Novo Trovador, para o qual colaboraram diversos poetas da segunda geração romântica de Portugal. Sua poesia, inscrita na atmosfera de seu tempo, imersa no ideário ultra-romântico, paira sobre uma temática simultaneamente sombria e reivindicativa. Reivindicativa porque, ao lado de uma lírica ultra-romântica, apresenta também textos de protesto, que advogam valores de progresso e liberdade; cumpre notar que parte de suas composições se tornaram muito populares à época, sendo recitadas em ceias, sarais, na companhia de uma triste música toada por um piano, como ocorrera com a balada O Noivado do Sepulchro." [Gleiton Lentz].

Clique na imagem para ler a página:

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nephelibatas em movimento