Delmira Agustini
Líricas (2005)
Brochura, em papel pólen soft 80gr, 172págs.
Formato: 20x13cm.
Tiragem de 40 exemplares.
Edição bilíngüe: espanhol/português.
Tradução, apresentação e notas, de Gleiton Lentz.

[esgotado]

Trata-se da primeira publicação, em livro, da poeta uruguaia Delmira Agustini (1886-1914) no Brasil.
"Não obstante, naquela época de colisão entre os séculos XIX e XX, conforme setenciara o nicaragüense Rubén Darío, não existiram escolas, mas poetas. Um vasto e múltiple movimento tomava força nos países de língua hispânica e, como se mil anos nos separassem dela, tal qual uma antiga legenda, a geração do 900, na tradição literária uruguaia, figura, mesmo após um século, como ponto de referência de uma época chave da literatura do Uruguai, representando, sobretudo, uma zona de retorno à atmosfera dos cafés e cenáculos literários e à qualidade das obras então produzidas no país platino.
Parte da atração que esta legenda exerce provém, como cálice de estranho licor aos arroubos da alma, do efeito que causa a leitura da obra lírica da poeta Delmira Agustini. Representante do modernismo uruguaio e conseqüentemente da voz feminina nas letras daquele país, a poesia de Delmira revela, poema a poema, com admirável concisão expressiva, um cosmos amplíssimo e inesgotável de imagens extremamente fortes, arrebatadoras, onde a sexualidade e o desejo insaciado predominam no centro do discurso poético. Filtrada pelo primor da liberdade estética e pela música, sua poesia desconcerta: primeiro, devido à fecundidade e à riqueza metafórica de sua linguagem; em segundo lugar, devido aos assomos da carne sobressaltada com sua nudez própria em cantar o amor inebriada por Eros." [Gleiton Lentz].



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nephelibatas em movimento