Celso R. Braida - Exercícios de desilusão (2012) 
Brochura, em papel pólen soft 80gr, 208págs.
Formato: 20x14cm.
Tiragem de 40 exemplares.
Com sobrecapa solta.

R$ 28,00 (- registro módico, incluso)

“Aqui não se levantam pretensões de verdade, não se defendem teses, nem se expõem opiniões: o que se faz é propor exercícios de pensamento, tal como um mestre propõe exercícios físicos para aprimorar e desenvolver habilidades corporais. Aqui e lá não se devem confundir os exercícios com o conteúdo e o objetivo para os quais as habilidades são aprimoradas. Uma vez feitos os exercícios e adquiridas as habilidades, deve-se viver e agir e pensar espontaneamente. Embora aqui o treinamento se faça em meio aos acontecimentos, eles não se confundem com o que está em jogo. No caso do pensar, é fácil confundir o exercício com o seu exercício. Todavia, há uma grande diferença entre excitar e exercitar o pensamento; e ainda maior entre exercitar e exercer o pensar. Hoje, por todos os lados e de todas as maneiras somos excitados no pensamento, o que não significa que o exerçamos.”

"A terra e a vida brotando da terra, isso é o que há. Você também é terra e vida que brotou da terra. Veja o Pinheiro no descampado, ele é vida nascida da terra, é terra viva. Agora olhe para você e sua condição. Embora seja terra viva, sua vida é muito diferente, pois além de ser terra viva, você vive esta vida conforme a uma forma de vida que lhe foi implantada no seu corpo por sua comunidade. Esta forma de vida é o que eu chamo de Implante. Diferente do Pinheiro, cuja vida é vida tão somente, você, corpo vivo, é o suporte e o sustentáculo do Implante denominado Cultura."

Celso R. Braida, natural do Campestre da Água Negra, é professor de filosofia, tradutor, nômade, além de pensador amador. Tem diversos trabalhos publicados, entre os quais destacam-se a tradução de textos de Schleiermacher, Hermenêutica: arte e técnica da interpretação (Vozes, 1999) e  Três Aberturas em Ontologia: Frege, Twardowski e Meinong (Nephelibata, 2005).








Celso R. Braida - Scismas (2008)
3a. edição. Brochura, em papel pólen bold 90gr, 64págs.
Formato: 20x12cm.
Tiragem de 50 exemplares.

R$ 12,00 (- registro módico, incluso)

"Em Scismas, Celso Braida exagera na falta de “bom gosto” e na quebra das regras do “bem pensar” profissional. Aforismos repletos de insinuações e provocações. O que é insinuado: que falta radicalidade no pensamento atual. O que é provocado: a rebeldia e a ousadia dos lúcidos. Trata-se de uma tentativa de ruptura das fixações configuradoras da nossa atual forma de vida".


Celso R. Braida, natural do Campestre da Água Negra, é professor de filosofia, tradutor, nômade, além de pensador amador. Tem diversos trabalhos publicados, entre os quais destacam-se a tradução de textos de Schleiermacher, Hermenêutica: arte e técnica da interpretação (Vozes, 1999) e  Três Aberturas em Ontologia: Frege, Twardowski e Meinong (Nephelibata, 2005).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Nephelibatas em movimento